Uma Música

 

Não há tempo consumido / Nem tempo a economizar
O tempo é todo vestido / De amor e tempo de amar

O meu tempo e o teu, amada / Transcendem qualquer medida
Além do amor não há nada / Amar é o sumo da vida

O dom do amor só dura / O tempo de um madurar
Depois vem a vida e leva o amor / Pra outro lugar

Não há tempo consumido / Nem tempo a economizar
O tempo é todo vestido / De amor e tempo de amar

O meu tempo e o teu, amada / Transcendem qualquer medida
Além do amor não há nada / Amar é o sumo da vida

O dom do amor só dura / O tempo de um madurar
Depois vem a vida e leva o amor / Pra outro lugar

 

O que é o tempo? Há medida do tempo no amor? Por que ansiamos a experiência de amar?

O tempo revela os seus mistérios...

A existência humana é um breve pulsar e dura o tempo do amor e de amar. 

A delicadeza do tempo nos ensina a caminhar, transmutar a outro lugar.

Viver é amadurecer a experiência de amar e ser amado... e não há tempo consumido no amor.

O tempo de cada ser é único e é consolidado no amor que amadurece e eterniza todas experiências e buscas.

A vida talvez seja isso, esse breve pulsar, essa busca da experiência profunda do amor que nos permite transcender e voltar à nossa essência.

 

"AMOR E SEU TEMPO"

Amor é privilégio de maduros
estendidos na mais estreita cama,
que se torna a mais larga e mais relvosa,
roçando, em cada poro, o céu do corpo.

É isto, amor: o ganho não previsto,
o prêmio subterrâneo e coruscante,
leitura de relâmpago cifrado,
que, decifrado, nada mais existe

valendo a pena e o preço do terrestre,
salvo o minuto de ouro no relógio
minúsculo, vibrando no crepúsculo.

Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda a ciência
herdada, ouvida. Amor começa tarde."

Carlos Drummond de Andrade

 

Marcelle Durães

Equipe do site