Uma Exposição

A exposição tem como eixo central a representação da figura humana, tema que atravessa diferentes histórias da arte presentes nas diferentes coleções do acervo do MASP. Da celebrada coleção europeia, passando pelas coleções pré-colombiana, africana, brasileira e latino-americana. Com peças do Povo Iorubá (Nigéria), da cultura Chancay (Peru) e de artistas como Rafael, Ticiano, Renoir, Van Gogh, Picasso, Diego Rivera, Burle Marx, Portinari, Djanira, Flávio de Carvalho. Curadoria: Rodrigo Moura e Luciano Migliaccio.

 

Acervo do MASP, composto por obras que representam a figura humana, chega ao CCBB Belo Horizonte

 

Após ter passado pelo Rio de Janeiro, é a vez da capital mineira receber “ENTRE NÓS – A figura humana no acervo do MASP”, que reúne mais de 100 obras do maior acervo de arte da América Latina. Em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte, a partir do dia 26 de abril, até 26 de junho, a mostra revela, através da pluralidade de artistas e estilos, a consequente diversidade da representação da figura humana na arte. Não por coincidência, “ENTRE NÓS”, que finaliza a sua itinerância em Brasília, após a montagem em Belo Horizonte, foi denominada pelos milhares de visitantes cariocas, como “A GRANDE EXPOSIÇÃO”.

 

Ao longo da História da Arte, a representação da figura humana foi um meio de demonstração de poder do Clero e da aristocracia, da adoração de deuses e santos, da mimetização do real, da transformação da sociedade e da própria arte nos séculos 19 e 20. É esta diversidade de formas de representação que a mostra “ENTRE NÓS – A figura humana no acervo do MASP” apresenta ao público, estabelecendo um recorte cronológico e um diálogo entre as distintas formas de representação e culturas, com um arco histórico que se inicia entre os anos 900-1200 D.C., com as peças pré-colombianas, e que vai até os dias de hoje. Com curadoria de Rodrigo Moura e Luciano Migliaccio, da equipe de curadores do MASP, a exposição traz obras dos maiores nomes da arte mundial – Francisco de Goya, Amadeo Modigliani, Vicent Van Gogh, Pablo Picasso, Edgard Degas – e da arte brasileira: José de Almeida Júnior, Anita Malfatti, Cândido Portinari, Lasar Segall e Victor Brecheret, entre outros tantos. O projeto conta com o patrocínio do GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE.

 

Artistas contemporâneas também integram a exposição, reforçando o caráter do MASP em estar aberto a novas mídias, suportes e linguagens da arte. Uma sala apresenta o vídeo Nada É (2014), do artista Yuri Firmeza. Pertencente à série Ruínas, o vídeo mostra diferentes momentos da história da cidade de Alcântara, no Maranhão, e a documentação da Festa do Divino.

 

A instalação Trabalho (2013-16), de Thiago Honório, se apropria de ferramentas recebidas como presente de operários durante a reforma de um espaço no qual o artista participava de uma residência artística, transformando-as em esculturas que metaforizam o corpo dos trabalhadores. A mostra se encerra com a instalação de Nelson Leirner, Adoração (Altar para Roberto Carlos), 1966, que remete a uma nova forma de sagrado nos dias de hoje.

 

CCBB - Praça da Liberdade, 450 – FuncionáriosCEP: 30140-010 | Belo Horizonte - MG(31) 3431-9400

Horário: 9h às 21h