Um Poema

I (2)

Abandonei o tempo dos limites.
É do infinito que a alma mais tem fome.

A vida tece a urdidura do avesso
E é de loucura que o corpo se sacia.

Minha paixão não teme estes abismos.
O que se busca é nesta névoa que se oculta.

Luíza Mendes Furia 

In: Vênus em Escorpião. Patuá, São Paulo, 2016