Um Poema

"O Cristo sorridente" do Castelo de São Francisco Xavier em Navarra, Espanha (Sec. XV)

 

Minha dor sorri para mim

Esperançosa do desconhecido

Com devida fome das lições futuras

 

Minha dor sorri para mim

Com a confiança de seu valor infinito

Só quando eu sorrio de volta para ela

 

Minha dor sorri para mim

Ressuscitando minhas memórias esquecidas

Meu sorriso não possui ou preserva

Só abraça e liberta

Minha tristeza estreia

Um sorriso nanico de volta para ela

 

E ainda meu sorriso causa-me dor.

 

Um sorriso comprido de volta para ela

Torna-se num franzir a testa para minha tristeza

Quando só tiranizam meus abraços

Meu sorriso aprisiona e embala

Matando minhas memórias amadas

Meu sorriso causa-me dor

 

Só quando não sorrio de volta para ela

Duvidando de seu valor infinito

Meu sorriso causa-me dor

 

Apostatando a existência das lições futuras

O desconhecido me paralisa

E ainda

 

A dor de Cristo sorri para mim

Eternamente.

 

Minha dor sorri para mim

Novamente.

 

Michael A. Martínez, S.J.

www.mikemartinezsj.com