Um Poema

EXERCÍCIO
(Cecília Meireles)
 
Ciência, amor, sabedoria,
tudo jaz muito longe, sempre
-imensamente fora do nosso alcance.
Desmancha-se o átomo,
domina-se a lágrima,
já se podem vencer abismos
-cai-se, porém, logo de bruços e de olhos fechados,
e é-se um pequeno segredo
sobre um grande segredo.
Tristes ainda seremos por muito tempo,
embora de uma nobre tristeza,
nós, os que o sol e a lua
todos os dias encontram
no espelho do silêncio refletidos,
neste longo exercício de alma.
 
(1955)
Cecília Meireles
In: Inéditos
Imagem: pexels.com