Uma Música

 

 

A Pele Que Há Em Mim

Márcia       

 

Quando o dia entardeceu / E o teu corpo tocou num recanto do meu
Uma dança acordou e o sol apareceu de gigante ficou
Num instante apagou / O sereno do céu

 

E a calma a aguardar lugar em mim / O desejo a contar segundo o fim.
Foi num ar que te deu / E o teu canto mudou / E o teu corpo no meu
Uma trança arrancou / E o sangue arrefeceu / E o meu pé aterrou
Minha voz sussurrou / O meu sonho morreu

 

Dá-me o mar, o meu rio, minha calçada. / Dá-me o quarto vazio da minha casa
Vou deixar-te no fio da tua fala. / Sobre a pele que há em mim / Tu não sabes nada.

 

Quando o amor se acabou / E o meu corpo esqueceu
O caminho onde andou / Nos recantos do teu
E o luar se apagou / E a noite emudeceu
O frio fundo do céu / Foi descendo e ficou.

 

Mas a mágoa não mora mais em mim / Já passou, desgastei
Para lá do fim / É preciso partir / É o preço do amor
Para voltar a viver / Já nem sinto o sabor / A suor e pavor
Do teu colo a ferver / Do teu sangue de flor / Já não quero saber.

 

Dá-me o mar, o meu rio, a minha estrada.
O meu barco vazio na madrugada / Vou deixar-te no frio da tua fala.
Na vertigem da voz / Quando enfim se cala.

 

 

Amor que é amor acaba?

 

Amor não complica, é simples, seu único objetivo é resolver. O amor nos move a caminhar e buscar.

Ir ao encontro... é movimento! Amor é enfrentamento...

 

O amor que é amor supera as barreiras, limitações, ausências, distâncias, diferenças e ao silêncio das separações.

Amar é perdoar, é recomeçar! Não há amor sem perdão...

 

Amor brota do cuidado, da atenção e do respeito. É marcado pelo reinício todas as manhãs - é quem escolhe permanecer mesmo podendo voar.

 

"Ausência

Eu deixarei que morra em mim o desejo
de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa
de me veres eternamente exausto
No entanto a tua presença é qualquer coisa
como a luz e a vida

E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto
e em minha voz a tua voz
Não te quero ter porque
em meu ser está tudo terminado.
Quero só que surjas em mim
como a fé nos desesperados."

 (Vinicius de Moraes)

 

Marcelle Durães

Equipe do site