Um Livro

 

Sarah Bakewell

Objetiva, 2012

 

Não se engane, não estamos diante de mais um livro de auto-ajuda. Que nos ajudem a viver, que enriqueçam nossas vidas e que nos tornem mais humanos, tudo isto  é o melhor destino dos livros e é o que se passa com as grandes obras, vivemos melhor quando as conhecemos. Mas os livros de auto-ajuda à nossa volta estão longe disso: ansiosos pela entrega das respostas, sequer chegam a perceber o que está em jogo. Desconhecedores da dor e da infinita diversidade da vida, é de pouco valor o que têm a ensinar. Mas este Como Viver não é nada disto. Ocupando-se de Montaigne, celebra, em mil ocasiões, a quota de alegria que nos cabe enquanto humanos. Se não podemos tudo, e não podemos mesmo, não faltam motivos e nem oportunidades para que levemos uma vida onde o contentamento tenha o seu lugar.  Escritor no Renascimento, Montaigne sabe que está diante de uma aurora. Finda a Idade Média, é preciso navegar em direção a um continente propriamente humano. É essa a coragem de Montaigne, é a essa coragem que ele, sem cessar, nos convida. Aceite o convite.

 

 

Ricardo Fenati

01.06.2012