Desdobramentos

Caminho de Santiago de Compostela

Há peregrinos e caminhos bonitos. Brilham pelos passos que dão e pela coragem que têm em confiar sem saber muito bem como, mas deixam-se abraçar pela fé que lhes impulsiona a querer sair em direção a novas estradas.  

Saem às cegas para não se deixarem ficar na escuridão das suas vidas. É esta a ânsia daqueles que percorrem novos caminhos numa descoberta plena de si, do outro e de tudo o que lhes rodeia. Dão-se ao luxo de nascerem de novo. Irradiam em si a certeza de que a vida é digna em todo e qualquer momento. Espelham a esperança de que haverá sempre bonança em qualquer chegada, em qualquer encontro face a face.  

Há peregrinos e caminhos bonitos. Caminhos que nunca seriam imaginados, nem planeados. São rotas desenhadas pelos questionamentos e traçadas ao milímetro de cada avanço dado num arriscar cheio de riscos. São vias alternativas para vidas a quem ninguém dava uma única alternativa. São rodovias sem limites de velocidade e com permissões de paragens e de estacionamentos para que todos os que a percorrem posso encontrar a beleza de se deixarem contemplar. São vielas para os belos e belas que um dia decidiram atravessar o fundo dos seus cantos e recantos e, assim, partirem de novo para os seus verdadeiros encontros.  

Há peregrinos e caminhos bonitos. Histórias de vida que não precisariam de muitas palavras para nos converterem às suas formas de ser e de estar. São testemunhos verdadeiros que nos trocam as voltas da vida dando-nos a reviravolta em tantas das nossas revoltas. São a prova viva de que o bom e o belo não se deixam reluzir, mas convidam, sempre, a sentir.

Há peregrinos e caminhos bonitos. Há, em toda a nossa vida, quem passe por nós dando-nos a saída aos nossos becos sem saída e permitindo, de novo, que possamos entrar diretos na estrada das nossas vidas!

Emanuel Antonio Dias

In: imissio.net 27.09.2019