Um Poema

MINHA MÃE

Minha mãe costura
na Singer
todo fim de
tarde,
elegante e
sagaz
na missão de
consertar o mundo.

Como toda mãe,
sabe botar brilho
nos olhos dos filhos,
e põe na caixa de botões
os sentimentos extraviados.

Seus olhos
— de tardezinha —
são dois botões nublados.

Iara Maria Carvalho
in Meia Porção de Sol - Offset Editora, Natal, 2021

Imagem: Cornelia Hernes, Autorretrato aos 38 anos (2017)