Uma Música

 

Rua Ramalhete

Tavito e e Ney Azambuja (1979)

Sem querer fui me lembrar
De uma rua e seus ramalhetes,
O amor anotado em bilhetes,
Daquelas tardes.

No muro do Sacré-Coeur,
De uniforme e olhar de rapina,
Nossos bailes no clube da esquina,
Quanta saudade!

Muito prazer, vamos dançar
Que eu vou falar no seu ouvido
Coisas que vão fazer você tremer dentro do vestido,
Vamos deixar tudo rolar;
E o som dos Beatles na vitrola.

Será que algum dia eles vêm aí
Cantar as canções que a gente quer ouvir? (2x)

 

O músico, cantor e compositor mineiro Tavito, nome artístico de Luís Otávio de Melo Carvalho, falecido recentemente, nesta letra “Rua Ramalhete”, retrata sua juventude passada em Belo Horizonte. 

Sacré-Coeur de Marie, era uma escola de freiras francesas em Belo Horizonte - MG, onde estudavam somente meninas. Os rapazes ficavam na rua ramalhete a espera do horário de saída das aulas para então trocar olhares, bilhetes e promessas...

Bela música que desde a introdução parece acordar uma espécie de saudade indefinida, o desejo de uma volta a uma inocência perdida. Um desejo de amor e vida!

Equipe do site